terça-feira, 25 de novembro de 2014

A Rede AT no Simpósio SERNEGRA em Brasília


Cartaz promocional do evento


A III Semana de Reflexões sobre Negritude, Gênero e Raça, promovida pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília, ocorreu de 19 a 23 de novembro, como forma de celebrar e debater temas relacionados à Consciência Negra e contou com a participação da professora da Rede Anísio Teixeira, Joalva Moraes.

A professora da Rede AT apresentou comunicação oral, na Seção Temática 9 - Educação e Política de Ações Afirmativas, sob a coordenação do professor da Universidade Federal de Alagoas - UFAL, Fabson Calixto da Silva. A comunicação da professora Joalva, intitulada, As Tecnologias Educacionais na Aplicação da Lei 10.639/2003 - Uma análise do Programa Almanaque Viramundo da TV Anísio Teixeira/Secretaria da Educação, foi resultado de sua dissertação de Mestrado em Políticas Sociais e Cidadania, defendida na Universidade Católica do Salvador - UCSAL.

Professora Joalva Moraes apresentando a comunicação

SERNEGRA 2014 foi aberta com a polêmica Mesa Redonda A Lei ao meu redor, a lei que eu não queria. Violência Institucional e a questão de classe, de gênero e raça, que contou com a presença do Deputado Federal Jean Wyllys, a pesquisadora Juliana Farias e Maria de Fátima da Silva, mãe do dançarino Douglas Rafael (DG), morto abril deste ano. Os debates acalorados ficaram por conta de militantes de movimentos negros que questionavam o posicionamento de Jean Wyllys acerca da série da Rede Globo, Sexo e as Negas e das declarações de Maria de Fátima sobre a apresentadora Regina Casé.

Sobre as Seções Temática, foram 14 e ocorreram de quarta-feira (20) a sábado (22). Também aconteceram oficinas, exibições de filmes, apresentações teatrais e musicais.



segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Processos educacionais da MOVE


Educação, Arte e Novas tecnologias propiciando um fazer educacional colaborativo, contextualizado e interdisciplinar. Um processo de sensibilidade e encantamento evidenciando a emancipação cidadã de educadores e estudantes para além dos muros da escola...




Força e sensibilidade sempre!

Marcus Leone Coelho
Coordenadoria de Gestão, Tecnologia e Inovação-CGTI/SEDUC - Camaçari.
Gestão de Contrato e Tecnologias Educacionais - (71)3644-5777

Educador e produtor de conteúdos educacionais livres da REDE ANÍSIO TEIXEIRA- SEC/BA
(71) 3116-9061 

quinta-feira, 6 de novembro de 2014

3° Encontro: Vlw! :-)


por Geraldo Seara

Quem transitou pelos corredores da Arena Fonte Nova viu e ouviu de tudo o que é produzido nas escolas da rede pública, nas áreas da Ciência, da Arte e da Cultura.  A curiosidade, um dos principais motivadores para aprendizagens, atraiu gente de tudo quanto é canto, de todas as idades. Assim, me deixei guiar pelo olhar de uma menina, que tudo quis saber e de tudo foi informada pelos estudantes responsáveis por cada stand.


No semblante dos expositores, a alegria de atender crianças

A visitante Isabel, de 7 anos, passou mais tempo nos stands nos quais havia algum tipo de desafio lógico. Mas foi nos de conteúdos científicos mais avançados que ela fez mais perguntas, provando que Ciência, de fato, deve ser praticada nas escolas, desde cedo.


Depois das explicações, ver pra crer! As estudantes do stand tiveram muito trabalho

Passando pela Tenda Digital, o que mais atraiu a atenção da menina foi a Professora Oline, parceira do Professor Web, que durante muito tempo comandou seu Blog sozinho. Filha de pai negro e de mãe de pele clara, Isabel viu na professora virtual seus próprios traços.


Identificação com a Professora Online: "[...] eu pareço com ela!"

Todo o evento foi um sucesso, superando expectativas de público, organização e cobertura. Além dos órgãos oficiais, estudantes de várias escolas participaram da cobertura jornalística, tendo sido capacitados, para tal fim, pela Rede Anísio Teixeira. Confira, visitando o perfil do grupo no Facebook

Pra que vocês tenham uma ideia de tudo o que aconteceu, abaixo um resumo em vídeo da galera do Todos Pela Escola:





Para mais fotos, visite os links abaixo:

Flickr Mais fotos
Flickr Rede Anisio Teixeira
#tendadigital

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Estreia do Intervalo na TVE



Após intenso período de gestação, estreia o programa Intervalo da TV Anísio Teixeira.

O programa, que tem duração de 15 minutos, vai ao ar pela TVE, de segunda a sexta, às 18h30, com vários quadros que se alternam a cada dia, revelando partes do que há de melhor no nosso imenso território baiano, em várias áreas do conhecimento. 

sábado, 25 de outubro de 2014

AEW é destaque no TVE Revista


Com o ENEM à porta, estudantes do todo o Brasil podem contar com uma grande ajuda do Ambiente Educacional Web - AEW, um repositório de conteúdos digitais da Rede Anísio Teixeira. Nesta quarta-feira, 22, o assunto foi destaque no programa TVE Revista que teve como convidado o professor Ródnei Almeida, um dos gestores do AEW. Confira abaixo:

 Fonte: Midia Clip

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Rede Anísio Teixeira em Pernambuco


Por Geraldo Seara

Oficina do produção audiovisual com estudantes e professoras
da Escola Pintor Lauro Lillares, Recife-PE

Desde o dia 20, indo até o dia 24 deste mês, a Rede Anísio Teixeira se faz presente na 9a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, no IFPE - Recife, com participações em mesas redondas, oficinas e minicursos. Apresentamos aos pernambucanos nossas produções, enquanto aprendemos com eles de suas experiências e publicações.

Prof. Guel Pinna e estudantes da Escola Pintor Lauro Villares

Assim foi o primeiro dia, com exibição de nossos produtos, na abertura do evento, pela manhã, e com a Oficina de Produção Audiovisual, à tarde, com estudantes do Ensino Fundamental da Escola Pintor Lauro Villares. Na ocasião, os estudantes experimentaram algumas das etapas de uma produção de vídeo, chegando à preparação e gravação de uma cena, com muito entusiasmo.


Prof. Geraldo Seara e estudantes da Escola Pintor Lauro Villares
Ainda, apresentamos o episódio É x ou y? da série Cotidiano, tendo ouvido, ao final, dos estudantes "oh... acabou!", nos dando a certeza de que o vídeo tinha despertado, neles, o que era esperado: a curiosidade e consequente aumento do interesse para aprender. Assim, seguiu-se um intenso festival de perguntas sobre sexualidade cujas respostas, devidamente mediadas pela professora Guel Pinna, esquentou o ambiente.

No telão, cena do episódio "É x ou y?", da série Cotidiano
da TV Anísio Teixeira

Na terça-feira, 21, já com público do Ensino Médio da Escola Diário de Pernambuco, tratamos da linguagem cinematográfica aplicada à produção de vídeos educacionais.  Partindo de uma análise iconográfica, mais uma vez, confirmamos o quanto as pessoas respondem mais rapidamente às imagens de heróis e ídolos estrangeiros, enquanto precisam de intensa mediação para os que fazem parte da nossa história. Emilia Ferreiro tinha razão quando disse que "nossas crianças entendem mais de leões africanos do que das vacas do nosso território", ao referir-se, em uma palestra [198?], ao bombardeio midiático de produções estrangeiras.


Oficina de Linguagem Cinematográfica com estudantes da
Escola Diário de Pernambuco
Investidas como essa devem contribuir, enormemente, para a difusão e preservação de nossa cultura, uma vez que o público constatou que é preciso registrar e difundir quem somos, desde o começo de nossa história. A proposta, portanto, é de incentivo a produções que privilegiem a cor local e nacional, para que figurem, pelo menos, ao lado e, quiçá (viva a utopia!), que reconheçamos mais rapidamente uma Iracema e quem seja o deus do trovão para as culturas indígena e africana (não houve dificuldade para reconhecerem Thor).


Muita atenção ao conteúdo apresentado


Interação com os participantes


Ao final da oficina, Lucas Borges, da série Faça Acontecer foi apresentado, antecedido de uma reflexão sobre a crença na educação pública de qualidade e da transformação do país, a partir de um esforço conjunto para mudança de mentalidade e olhar sobre a escola pública.


No telão, o estudante Lucas Borges, na série Faça Acontecer
da TV Anísio Teixeira
Durante as oficinas, todos os produtos da Rede Anísio Teixeira foram apresentados, aparecendo, imediatamente, na tela de alguns celulares, em segundos! Enviamos, também, pelo e-mail dos participantes, os links para todos os nossos produtos. A recepção foi muito positiva.


A estudante Amábilli Lima e sua orientadora Guel Pinna


Na manhã de hoje, 22, foi a vez da apresentação de trabalhos do IFBA, apresentados pela professora Guel Pinna e sua orientanda Amábilli Lima, vinda de Salvador. A pesquisa apresentada pela estudante é sobre o pau-ferro e atraiu muitos olhares. Toda a fala das meninas foi traduzida, simultaneamente, para a Língua  Brasileira de Sinais. Aliás, todo o evento conta com tradutores que se revezam a cada meia hora.



Toda a fala foi traduzida para a LIBRAS
(Língua Brasileira de Sinais)


Interação com visitantes através da LIBRAS

Interação com os participantes através da LIBRAS


Visitantes no stand do IFBaiano


Prof. Guel Pinna no stand

Nesta quinta-feira, participaremos com oficina intitulada Jogos Teatrais no Aprendizado de Ciências, conduzida pela professora Guel Pinna.

A exemplo dos primeiros dias, devem circular pelo IFPE, mais de 2000 pessoas, até a sexta-feira, além do público que já atua no campus. 


sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Formações intensivas da Rede Anísio Teixeira


Por Geraldo Seara

Curso de Interpretação para TV e Prod. Audivisual, em Valença

Chegamos ao final de mais uma semana de cursos intensivos da Rede Anísio Teixeira, voltados para os estudantes das escolas públicas. Neste mês de outubro, foram planejados 2 cursos: o de Interpretação para TV e Produção Audiovisual, na cidade de Valença e o de Produção Multimídia, aqui em Salvador. Os 2 cursos contemplam estudantes de 7 colégios.

Curso de Produção Multimídia, grupo matutino

Em Valença, a segunda parte do curso ocorrerá na próxima semana, envolvendo estudantes dos colégios João Leonardo, João Cardoso e Gentil Paraíso. Aqui em Salvador, os estudantes dos colégios David Mendes, Edvaldo Brandão, Aplicação e do Dr. Luis Rogério de Souza participarão do segundo estágio do curso, durante o 3º Encontro Estudantil que acontecerá na Arena Fonte Nova, no final do mês. Nesse período, os estudantes farão a cobertura jornalística do evento, com produtos para TV, blog e rádio.


Curso de Produção Multimídia, grupo vespertino

As formações da Rede Anísio Teixeira visam, principalmente, devolver os estudantes às escolas como multiplicadores. Naturalmente, os cursos preparam os estudantes para intervenções práticas e significativas em seu cotidiano, tanto no âmbito pessoal, quanto coletivamente.

Para mais fotos, clique aqui.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

PROCESSO EDUCACIONAL MOVE


A Mostra de Vídeo Estudantil - MOVE agrega arte, educação e novas tecnologias, em um processo pedagógico crítico, colaborativo, libertário e de emancipação juvenil, em escolas públicas do município de Camaçari.



Saiba mais.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

O Intervalo está chegando!





Por: Joalva Moraes


O programa Intervalo, mais nova produção da TV Anísio Teixeira, está em fase de finalização. Em breve, este conteúdo audiovisual educativo vai ser lançado na TVE-Bahia, diariamente, às 19h30.

Intervalo é um produto feito por professores e estudantes de escolas públicas da Bahia para a sua comunidade escolar. Com temas que primam pela interdisciplinaridade, o programa tem a duração de 13 minutos. Cada edição é composta por três quadros, de quatro minutos. Estão sendo produzidos 40 programas, totalizando 120 peças. Essas produções também vão estar disponíveis no Ambiente Educacional Web, repositório de mídias digitais livres e educativas, da Rede Anísio Teixeira.

 Os quadros a serem apresentados no Intervalo, durante as quatro semanas de exibição, constituem-se em:

Faça Acontecer – 11 documentários com estudantes da escola pública;
Minha Escola, Meu Lugar – 12 documentários que mostram a relação da escola e seu bairro/cidade;
Ser Professor – 12 documentários com professores que desenvolvem projetos de sucesso em suas escolas;
EmCenação – Série ficcional dividida em 7 capítulos e protagonizada por estudantes e professores da escola pública; além de 2 making of.
Cotidiano – 24 peças que relacionam o conhecimento escolar com o nosso dia a dia;
Histórias da Bahia – 12 peças que abordam conteúdos específicos acerca da história do nosso estado;
Diversidades – 12 peças que refletem sobre as diversidades: religiosa, sexual, gênero, socioeconômica, fenotípica, alimentar, cultural, linguística, étnico-racial, pessoas portadoras de deficiência, especismo e geração;
Gramofone – 08 clipes musicais de estudantes e professores da escola pública.
Filmei! – 20 peças que apresentam dicas de produções audiovisuais produzidas por estudantes baianos.


Intervalo é uma realização da TV Anísio Teixeira/Rede Anísio Teixeira, produzido pela N5 Filmes.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Curso de interpretação vai aos Tupinambás


Por Geraldo Seara

Comunidade escolar na gravação da série Minha Escola, Meu Lugar
Foto: Peterson Azevedo

Nas próximas duas semanas, de 21 de julho a 2 de agosto, a Rede Anísio Teixeira estará na Escola Estadual Indígena Tupinambá de Olivença. Desta vez, estamos levando o Curso de interpretação para TV, destinado a estudantes e professores, em oficinas práticas que privilegiam as competências e habilidades que nem sempre são contempladas nas atividades rotineiras da escola, mas que contribuem, grandemente, para o desempenho escolar, assim como em muitas outras interações sociais.


Estudantes de Formosa do Rio Preto, ensaiando a cena
Foto: Geraldo Seara

Segundo o professor Nildson B. Veloso,  "a interpretação é o foco do curso, mas os participantes também terão noções de roteiro, produção e edição de imagens, além, é claro, da própria linguagem audiovisual. Tudo isso pra que possam colocar em prática, de modo mais criterioso, o que já fazem, naturalmente, com seus celulares e câmeras digitais".


Cena do episódio "Hoje é dia de Feira", da série Cotidiano
Foto: Geraldo Seara

Esta formação tem ocorrido em várias escolas da nossa rede pública, contemplando todos os Territórios de Identidade da Bahia. Alguns dos estudantes formados no curso já fazem parte do elenco da TV Anísio Teixeira, nas séries do programa Intervalo, a exemplo de Luma Lopes, de Lençóis, no quadro Histórias da Bahia; Anderson Magalhães, de Porto Seguro, na série Edson, Rei da Construção e Alexandre Smith (foto acima, com a atriz Merry Batista), de Salvador, na série Cotidiano, só pra citar alguns.


Set da série Cotidiano. Foto: Geraldo Seara

Além desses nomes, muitos professores e estudantes têm sido protagonistas das nossas séries. Ano passado, os da escola tupinambá participaram de um dos episódios da série Minha Escola, Meu Lugar, ainda inédito na TV, mas já disponível no Ambiente Educacional Web.

Bom curso a tod@s!


sábado, 28 de junho de 2014

TV AT estreia série “Identidades” na TVE




Estreia nesta segunda-feira, dia 30.06, às 19h30, na TVE Bahia, a série inédita “Identidades”, que tem dez episódios de 26 minutos cada e foi produzida pela TV Anísio Teixeira, da Rede Anísio Teixeira, da  Secretaria de Educação da Bahia. Em formato de programa de auditório, com apresentação do ator Marinho Gonçalves  e contando com a participação dos alunos da Rede Pública Estadual de Ensino, que lotaram as plateias, o “Identidades” apresenta aos jovens baianos o trabalho de artistas da nossa terra das mais variadas vertentes culturais, como o cantador Xangai e o cantor e compositor Dão, ou as bandas Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta, Baianasystem e o cantor e compositor Riachão. A série vai ao ar na TVE de segunda a sexta, do dia 30 de junho ao dia 04 de julho e depois do dia 07 ao dia 11 de julho, sempre às 19h30.



Dividido em dez temas – Saudade, Paixão, Sonho, Ciúmes, Medo, Liberdade, Solidão, Alegria, Resistência e Fé – o novo programa tem por objetivo fazer com que os estudantes interajam com as manifestações culturais e expressões artísticas baianas, muitas delas desconhecidas para eles, e que possam extrair conhecimento desta experiência, entendendo que ao redor, no cotidiano de cada um, existe saber. Gravada no Teatro Solar Boa Vista, a série “Identidades” agrega um material diverso que pode ser utilizado também em sala de aula para disparar atividades sobre cultura, diversidade cultural, música baiana e regionalidade, demonstrando o quanto a produção artística é ao mesmo tempo atual e ligada às raízes da tradição.



Os pilares da nova produção são a música, a poesia, imagens de vídeo-arte, vídeo-clipes, fotografias, obras de arte famosas, e outras influências artísticas escolhidas cuidadosamente pela equipe pedagógica da Rede Anísio Teixeira e lançadas no telão do cenário pelo VJ Sal. Nos intervalos o DJ Bandido comanda a festa, fazendo a plateia cantar e dançar com músicas eletrônicas, além das músicas das bandas e cantores que se apresentam.




Os guias pedagógicos de cada episódio da Série Identidades estão disponíveis no Ambiente Educacional Web (ambiente.educacao.ba.gov.br). Informações: (71) 3116-9038 ou  tv.anisioteixeira@educacao.ba.gov.br

“IDENTIDADES”

Tema 1 : Saudade
O cantador Xangai, a dupla Dois em Um e o cantor Dão, acompanhado de parte da sua banda, a Caravana Black, cantam e comentam o tema. O artista plástico Marcos Costa expressa a sua saudade através de um quadro, que é confeccionado durante o programa e apresentado à plateia no final. Em todas as edições o Identidades trabalha o tema através da poesia, do teatro, da literatura, e claro, da música.

Tema 2: Paixão
Ronei Jorge e os Ladrões de Bicicleta, o cantor Riachão e a banda Baianasystem, comentam o tema que também é trabalhado pelo apresentador e demais artistas presentes no palco do “Identidades”.

Tema 3: Sonho
A cantora Cláudia Duth, a banda Sambatrônica e o cantor, compositor e multi-instrumentista Luiz Caldas, cantam e falam sobre o sonho, tema da edição de número três do “Identidades”, que traz ainda as artes plásticas, representadas pela presença de Bruno Marcelo. Fragmentos de canções, poesias, literatura e textos teatrais são utilizados pelo apresentador para criar uma atmosfera onírica nesta edição.

Tema 4: Ciúmes
A cantora Juliana Ribeiro, o grupo Garagem e a banda A Volante do Sargento Bezerra compõem as atrações musicais desta edição. Um casal de atores mostra através de um esquete teatral como o ciúme pode interferir na vida conjugal, de maneira divertida e engraçada. Fragmentos do texto de Shakespeare “Otelo” e de “Dom Casmurro”, de Machado de Assis, são trazidos pelo apresentador, assim como poemas e fragmentos de letras de músicas.

Tema 5: Medo
A Ministério Público, a banda Radiola e o cantor e compositor Raimundo Sodré, compõem a tríade musical desta edição. A dançarina Audrey Consiglio,  com a sua cobra, e o artista plástico Jayme Figura contextualizam e falam sobre o medo.

Tema 6: Liberdade
As bandas O Circulo, Retrofoguetes e o cantor e compositor Lazzo Matumbi formam a tríade das atrações musicais. A trapezista Audrey e o grupo de Ginástica Rítmica formado por crianças trazem o tema da Liberdade para o corpo, preenchendo o programa com movimento.

Tema 7: Solidão
O cantor Paquito, a banda Theatro de Séraphin, a cantora Rebeca Matta, a dançarina Norma Santana e o artista plástico Wylliams Martins estão na sétima edição do programa. Wylliams convida parte da plateia a participar da confecção da sua tela, comentando que para fugir da solidão a que o artista muitas vezes está submetido pelo seu ofício criativo

Tema 8: Alegria
A cantora Márcia Castro, o multi-instrumentista Peu Meurray, o grupo de samba de roda Barlavento, a dupla de palhaças Floricotta e Furabolo, que fazem a alegria da plateia através de brincadeiras próprias do circo-teatro, formam as atrações desta edição do “Identidades”. A alegria do ponto de vista da população baiana é comentada durante o programa pelo apresentador e pelos convidados.

Tema 9: Resistência
O cantor, compositor, cordelista e repentista Bule-Bule, o coletivo Simples Rap´ortagem e o cantor e compositor Geraldo Cristal, juntos com o B. Boy Ananias e Grupo de Dança de Rua fazem esta edição especialmente contestadora e, traz uma visão crítica da arte de resistência, da arte de periferia. A pobreza e as desigualdades sociais, bem como o racismo, e as influências do reggae jamaicano na música de Geraldo Cristal são apresentadas, conjuntamente com uma tela grafitada pelo artista Fael 1º, cuja confecção, por conta do material utilizado, é mostrada através de vídeo.

Tema10: Fé
A cantora Clécia Queiroz, o Grupo de Dança e Reizado da FUNCEB, a banda de Pífanos de Bendegó e o cantor e compositor Gerônimo Santana traduzem as suas  visões de fé, além de letras de canções, poesias, imagens do telão, manifestações da cultura popular, de origem africana e de origem européia, fazem desta edição um exemplo de como tratar o tema através das artes.



[Fonte:]

ASCOM - Assessoria de Comunicação
IRDEB / TVE Bahia / 107.5 Educadora FM
Secretaria de Comunicação do Estado da Bahia
Tel. (71) 3116-7443 / 7359

domingo, 8 de junho de 2014

COMO TORNAR PÚBLICO O ARQUIVO PÚBLICO?


Fachada do prédio do Arquivo Público - Foto: Lucas Caldas


Por: Valdineia Oliveira e Telma Gonçalves


Tendo como motivador esse questionamento, a Curadora-chefe da 3ª Bienal da Bahia, Ana Pato promove o projeto Quinta na Quinta que vai acontecer no Arquivo Público do Estado da Bahia (Baixa de Quintas), a partir do dia 17 de julho, e tem por objetivo tornar esse local num espaço de visitação para professores e alunos.

O projeto conta com uma equipe de artistas que irão expor seus trabalhos no entorno do arquivo compondo um mosaico de intervenções artísticas. Também será aberto ao público o acervo do antigo museu Estácio de Lima,  conhecido como museu Nina Rodrigues. O acervo desse museu contém seções para estudos antropológicos, como objetos de rituais litúrgicos do candomblé que foram apreendidos pela polícia. Contém, ainda, objetos da cultura indígena e do Cangaço, especificamente sobre o grupo de Lampião. Assim, as portas do Arquivo Público abrem-se aos professores da rede estadual; programem visitas guiadas.   

quinta-feira, 5 de junho de 2014

Formação no NTE 04


Por Geraldo Seara


Esta semana os professores de Santo Antônio de Jesus, Nazaré, Cruz das Almas e Vera Cruz participam da Formação para a Produção de Vídeos Educacionais. Esta é uma iniciativa da Rede Anísio Teixeira em parceria com a Facom/UFBA.

Eis um dos frutos das oficinas realizadas. Assista:



Para este vídeo, uma vez definido o tema (redes sociais), os envolvidos expuseram suas opiniões sobre o assunto, de modo bastante divergente. Essa diferença de opinião, que, inicialmente, poderia resultar em 2 vídeos, proporcionou uma produção muito mais rica, impregnada de sentidos e conceitos que merecem muito a nossa atenção. 

Abaixo, os professores trabalhando.




Prof. Leonardo Abreu
Prof. José Roberto Severino
















domingo, 25 de maio de 2014

Pais na série Cotidiano


por Geraldo Seara

Set de "É x ou y?" : Harrison Araújo (direção), Alen Peixinho (som),
Augusto Matos (ator), Jamile (figurino), Ana Graciela (atriz) e  Narcisa (maquaiagem)

É visível a diferença no rendimento escolar de estudantes cujos pais se envolvem também com a educação formal dos filhos. Esse envolvimento diminui nos grandes centros urbanos onde trabalhar fora faz parte do cotidiano de muitas mães, sendo algumas a única fonte de renda da família. Quem está em sala de aula, diariamente, sabe o quanto isso faz diferença no desempenho de crianças, adolescentes e jovens.


Set de "Mistura na pele": o estudante Raryan Reis, no papel de Ronaldo.
De costas, o diretor de fotografia Rick Caldas

De posse dos dados dessa realidade, com vistas a uma intervenção, pensamos em inserir os pais na série Cotidiano, como agentes importantes nessa empreitada pela melhoria da escola pública. A UE pode ter azulejo até o teto, com salas climatizadas e tudo o mais, mas sem o auxílio da família, qualquer que seja, não dá. Assim, nas histórias, ora os pais são os mestres, ora são nossos auxiliares nessa construção de saberes que não há grade que consiga encerrar.


Set do episódio "Que hora é essa?": Elvira Flávia, maquiada por Narcisa

Gilberto Reys (Fabrício), Rick Caldas (dir. fotografia) e Harrison Araújo (direção)

Durante as gravações do episódio "Que hora é essa?" (acima), observando a ação de uma mãe, interpretada pela atriz Elvira Flávia, fiquei pensando no impacto da trama. Orientação é o que não falta àquela mãe, já que o assunto do episódio é "fuso". Ela é firme, mansa e atenta ao horário da escola, colaboradora do filho em seu sucesso escolar, portanto.


A atriz Merry Batista e o estudante Alexandre Smith, no papel de Rafa,
no episódio "Hoje é dia de feira", gravado na Feira de São Joaquim 

Outra mãe antenada com o movimento da escola é a interpretada pela atriz Merry Batista, no episódio "Hoje é dia de feira". Ali, o aluno, vivido pelo estudante e agora também ator Alexandre Smith, é recebido pelos pais, na Feira de São Joaquim. O pai, interpretado por João Figuer, fica sabendo porque não sente o gosto das coisas, quando o assunto da sala de aula lhe chega aos ouvidos, através do filho. O assunto é Química, Biologia e Sociologia, com ensinamentos da vovó, repassados pela mãe, que louva a atitude da professora, de propor uma atividade como aquela, na química viva da feira livre.


No monitor, cena de "É x ou y?", com Ana Graciela e Ana Paula Mira

No episódio "É x ou y?", outra mãe, interpretada por Ana Paula Mira, dispara uma discussão interessante: quem determina o sexo do bebê, o homem ou a mulher? Aqui, ao ver a mãe triste, com mais um resultado de ultrassom no qual deu menina pela quarta vez, Jana, vivida pela atriz Ana Graciela, medeia o conflito com seu dever de casa, que vai de óvulos ao rei Henrique VIII, num diálogo interdisciplinar que, no final, resulta no pai, vivido por Augusto Matos Pereira, se conformando com mais uma filha, ao aprender mais sobre cromossomos.


João Figuer (pai de Rafa) e Ednei Alessandro (feirante),
no episódio "Hoje é dia de feira

Assim é o Cotidiano cujo fazer envolve professores, técnicos, e atores profissionais que dividem as cenas com os estudantes da rede, preparados por curso específico para atuação na TV. Os episódios tratam de conhecimentos científicos acumulados, mas também os do senso comum das pessoas que fazem parte da vida pulsante das comunidades escolares. 

Cada episódio da série requer horas de pesquisa acadêmica, realizada por uma equipe multidisciplinar de professores da rede. Esses dados, encaminhados à produtora N5, retornam em forma de roteiro para o audiovisual, com a assinatura de Lia Vasconcelos, especialista em roteiro, com leveza e graça.

Que assim seja!


Marta Helena (produtora)
Geraldo Seara, Guel Pinna e
 Nildson B. Veloso  (professores)

Assista ao episódio Hoje é dia de feira. Conheça e compartilhe o programa Intervalo do qual o Cotidiano é parte.


Fotos: Geraldo Seara

terça-feira, 20 de maio de 2014

Intervalo - A Nova Produção da TV AT


Por: Carlos Barros

O Projeto TV Anísio Teixeira iniciou-se ainda na virada da primeira década dos anos 2000. 


Em 2008, os professores da rede estadual foram selecionados para atuar na interface Educação/Comunicação, possibilitando experimentações na área a partir de princípios da Arte e das Mídias para utilizações pedagógicas. Entre estes profissionais, eu estava lá, parte deste grupo. 



Retornei ao projeto no início deste ano e tenho o prazer de fazer parte de um empreendimento ampliado - agora a Rede Anísio Teixeira - onde as experimentações resultam/resultaram/resultarão em produtos áudio-visuais de qualidade conceitual e técnica que demonstram o respeito pela atividade pedagógica. Já disponíveis desde alguns anos, uma série de peças áudio-visuais, vêm sendo acessadas pelos estudantes e professores como suportes complementares ao trabalho nas escolas.



Agora, em 2014, o Programa Intervalo, foi recentemente lançado num evento literalmente de semeadura - O Seminário de Educação e Mídias Educacionais -, vem como matriz/motriz de tantos anseios de professores, artistas, alunos, comunicadores envolvidos num desejo comum de produzir conhecimento e disseminação de saberes/sabores, em sintonia com metodologias contemporâneas de trato com a informação.



Que os tempos sejam de mais e mais semeaduras e força para todos nós!

Os colegas do Ambiente Virtual web e da Professora On Line / Professor WEB - integrantes da Rede - me deixaram feliz com tanta energia empregada na pesquisa e construção de possibilidades educacionais para acesso e utilização imediata e eficaz!
Tanto que aprendi e estou aprendendo!
Obrigado!

Compartilho este post com meus colegas mais próximos da TV Anísio Teixeira (por histórias em paralelo neste lugar profissional), artífices deste Projeto e construtores de sonhos reais: Dôra Almeida, Elzeni, Fau Coelho ,Geize GonçalvesGeraldo Seara , Joalva MoraesLilia RezendeLúcia Marsal, Márcia Almeida, Márcia Cristina Silva BarrosMarcus Leone, Marilu Dantas, Nildson B. Veloso, Peterson AzevedoTelma Goncalves SantosToni Couto e Valdineia Oliveira

Yuri Wanderlei: sua integridade no apreço à função social de nosso trabalho é contagiante! 
Obrigado!

Dedico aos colegas educadores que buscam diariamente fazer um trabalho que melhores em profundidades possíveis estes que são nossos parceiros maiores no processo: alunos que conosco estão ligados existencialmente no campo desta profissão.
Que a Sabedoria impere, sempre!

Assim é!

http://www.educacao.ba.gov.br/intervalo

sábado, 17 de maio de 2014

Lançamento do Intervalo no II Seminário de Educação e Tecnologia

 
por Geraldo Seara
 
II Seminário Educação e Tecnologia / IAT

Por dois dias, o Instituto Anísio Teixeira foi palco de um grande encontro entre professores, estudantes, atores, funcionários, cineastas, designers, pensadores, gestores públicos, funcionários e técnicos, todos respirando educação e tecnologia.
 
 
Yuri Wanderlei, coordenador da Rede Anísio Teixeira
 
Foram várias as mesas redondas que propiciaram reflexões importantes sobre esse tempo que vivemos hoje no qual ora a escola parecia perdida, suplantada pela onda digital, ora aparecia como espaço legítimo para direcionar o devir, em alusões a autores como Freire, Levy e Pretto que, sucessivamente, junto a muitos outros, iam sendo revezados nas falas.
 
 
Mesa 02: Debora Adália, Rodrigo Neim e Yuri Wanderlei
 
Entre os pensamentos expostos, um me chamou a atenção, em particular, o de que nem todos os nascidos nestes tempos são nativos digitais, como bem disse Rodrigo, da SaferNet. Concordando com ele, ouso traçar uns paralelos: será que todos os baianos sabem reunir os ingredientes para fazer um vatapá? (rs...) De longe, muitos pensam que sim. Já dei aulas de inglês em escola americana, para estrangeiros que já moram nos Estados Unidos há tempos. Oxente?! Não bastaria viver num país anglófono para adquirir a língua nativa? Então, analogamente, o fato de muitos terem nascido na era digital não implica em domínio de toda a sua materialidade e de seus usos diversos, muito menos aqueles com fins pedagógicos, pensando silogisticamente.
 
Assim, a Educação ocupou o centro dos debates, como espaço para que lancemos o olhar crítico sobre tudo isso.
 
Corroborando essas reflexões, um dos episódios do Cotidiano, série da TV Anísio Teixeira,  lançado durante o seminário, traz um personagem que deixa as telinhas digitais para conhecer a vida pulsante de uma feira livre, em uma atividade proposta por sua professora. Nessa mesma série, outros estudantes, em contrapartida, usam as mídias digitais para construírem conhecimentos, em episódios ainda em gravação. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra, nossos temas estão em consonância com toda essa problemática, mas sem respostas prontas.
 
Muitos atenderam ao convite público para o lançamento do programa Intervalo, durante o seminário, tendo comparecido professores e estudantes que participaram das Formações da Rede Anísio Teixeira, a exemplo da diretora do Colégio Rolando Laranjeira, de Santa Maria da Vitória, Ana Rocha, que trouxe também a estudante Francielly Macflay Silva. De Lençóis vieram a estudante Luma Lopes, acompanhada de sua mãe. De Juazeiro, vieram os estudantes Carlos Dias e Rayrlon Nery cujos vídeos realizados durante os cursos de interpretação foram exibidos. Estiveram presentes, também, muitos outros estudantes, professores, atores como Amós Heber e Vinicius Nascimento, técnicos do audiovisual e cineastas, como Anderson Soares Caldas e o atual diretor do IRDEB, José Araripe. A produtora Ncinco Filmes Produções se fez presente, não só, obviamente, pelo programa lançado, como também através do diretor da maioria dos programas Harrison Araújo.
 
Assim, com a mediação de Toni Couto, o coordenador da TV Anísio Teixeira, os professores envolvidos com a construção dos quadros foram convidados a compor a mesa, cada um expondo o desenho de cada quadro, seguido de sua exibição. Era impossível deixar de notar a satisfação de Yuri Wanderlei, coordenador da Rede Anísio Teixeira, grande batalhador pela educação, incansável na defesa do uso e difusão de softwares livres.
 
Para quem não pôde comparecer e para quem deseja rever, eis uma parte do primeiro dia do II Seminário de Educação e Tecnologia.
 

 
A partir do timecode 0:52:00, o lançamento do Programa Intervalo. Os vídeos que contam com a participação dos estudantes egressos das formações da Rede Anísio Teixeira podem ser conferidos nos timecodes 1:17:00 (Cotidiano), 1:43:00 (Encenação), "Histórias da Bahia", "Diversidade" e "Filmei". Todos os que estavam presentes foram chamados à frente e também foram capturados pelas câmeras da videoconferência, num excelente registro do resultado do que se faz com compromisso e dedicação.

Para assistir a tudo, do princípio ao fim, acesso o Blog do Professor Web, para o e dias.
 
 
::
Contador de Visitas Para Blogs